FOCOS DENTÁRIOS

Problemas bucais podem ser responsáveis por mais dor de cabeça que apenas cáries e tártaros. A falta de cuidados leva ao desenvolvimento de focos dentários que, se não forem tratados, podem resultar em doenças nos diversos sistemas, como o cardiovascular, o respiratório e, principalmente, o locomotor.
O micro-organismo entra pela corrente sanguínea e segue para outros órgãos, especialmente aqueles já fragilizados por outro tipo de infecção. Problemas na gengiva são os principais causadores dos focos bucais.
De acordo com médicos do esporte, até 30% das lesões musculares dos jogadores profissionais de futebol são originadas de focos dentários. Além das lesões, esportistas e pessoas sedentárias ainda podem desenvolver série de doenças a partir dos focos dentários, como a arteriosclerose, o enfarte e as doenças pulmonares obstrutivas crônicas. Além de uma infecção, outros problemas bucais podem prejudicar o desempenho de atletas, desde uma gengivite, cárie, dente aberto, até um dente do siso ou uma raiz que podem ter focos infecciosos. Isso pode atingir tanto um atleta profissional quando um de final de semana. Às vezes um desconforto muscular vem de um foco dentário
Atualmente, a medicina bucal é fundamental para o tratamento de lesões. Não apenas o aspecto cárie, mas os problemas infecciosos e os traumatismos nesta área podem dificultar e muito a recuperação de uma lesão muscular aparentemente simples.
A atenção com a saúde bucal deve ser redobrada em mulheres grávidas, já que a presença de vírus e bactérias no organismo acentua a perda de peso e pode levar até a um parto prematuro.
A única forma de evitar focos dentários é a prevenção. Pressões na arcada dentária por sisos e cáries — que podem evoluir para infecções odontogênicas a partir da entrada de bactérias —, além de inflamações nas gengivas, devem ser tratados com atenção.
Abscesso dentário é o acúmulo de pus no dente ou na gengiva por conta de alguma infecção bacteriana. Embora não seja um problema bucal tão grave, se for negligenciado ou não tiver o devido tratamento, pode ter desdobramentos mais sérios, como febre, vômito, diarreias e até, em casos mais raros, se transformar em um abscesso cerebral.
Porém, quando o abscesso permanece na cavidade bucal por muito tempo sem o devido tratamento, é possível que ele acabe causando outros problemas, como uma sinusite – infecção das cavidades atrás das maçãs do rosto que estão cheias de ar, que causa dor facial, nariz entupido e febre.
Outro desdobramento de um abscesso não tratado pode ser a Osteomielite. Ela ocorre quando a infecção do dente se espalha pela corrente sanguínea e ataca um osso de qualquer parte do corpo. Essa doença vai se apresentar com vômitos, náuseas, febre e dores na região afetada. Mas para isso, a infecção tem que ser negligenciada por muito tempo e, portanto, é bem rara de acontecer.
Ainda mais raro é um abscesso dentário virar um abscesso cerebral. Essa condição é bem remota, mas é possível sim, pois um abscesso cerebral pode ser originado pela propagação de uma infecção mal tratada em qualquer parte do crânio, inclusive no dente. Os sintomas dessa doença são dores de cabeça, confusão mental, febre, convulsões e fraqueza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *